Vereadores do PS reclamam solução para dívida dos centros escolares em Alcobaça

Os vereadores do PS na Câmara de Alcobaça aproveitaram a última sessão do executivo municipal para reclamar uma solução da dívida da Cister Equipamentos SA, que se aproxima dos 50 milhões de euros.

Recordando que a autarquia “nunca pagou os seus compromissos a esta empresa porque o Tribunal de Contas ‘chumbou’ os negócios”, Cláudia Vicente e César Santos “exigem ação” da maioria social-democrata “já no início de 2019”.

“Os orçamentos dos centros escolares de Alcobaça e Benedita e do pavilhão de Évora foram abaixo de 16 milhões de euros. A cada ano que passa a dívida aumenta em 5 milhões de euros. Ainda poderemos ir a tempo de tentar negociar uma solução e poupar muitos milhões de euros”, consideram os socialistas.

A construção daqueles equipamentos só foi possível devido à concretização de uma parceria público-privada com que a Câmara de Alcobaça, então liderada por Gonçalves Sapinho, torneou a impossibilidade de contrair os empréstimos necessários para a realização das obras. Porém, o Tribunal de Contas nunca concedeu o visto e a autarquia ficou, assim, impossibilitada de começar a pagar as rendas que tinha acordado com a empresa municipal constituída para o efeito. O processo arrasta-se há uma década.

Ao REGIÃO DE CISTER, o presidente da Câmara de Alcobaça disse “estranhar” a tomada de posição pública dos vereadores do PS, dado que a mesma se seguiu a uma reunião de Câmara em que o processo foi “todo explicado aos vereadores” e ficara acertado que o assunto seria alvo de “tomada de posição no início do ano”. “Temos uma estratégia, que a seu tempo será anunciada. O assunto está a ser tratado pelos advogados”, concluiu Paulo Inácio.