Alcobaça e Nazaré nos antípodas no pagamento a fornecedores

Se a Câmara da Nazaré demora em média 821 dias a pagar aos seus fornecedores, a Câmara de Alcobaça paga a cinco dias. Os dados resultam do relatório é da Direção-Geral das Autarquias Locais (DGAL), referente ao fecho do ano de 2017 e que demonstra que os dois municípios da região estão nos antípodas no que respeita aos prazos de pagamento de faturas vencidas.

A Nazaré lidera, aliás, a lista das piores pagadoras. O presidente da Câmara não se orgulha de ter o maior prazo médio de pagamento (PMP) de dívida mas lembra que aquele prazo de pagamento resulta das “contas herdadas dos mandatos anteriores” à sua chegada. O socialista Walter Chicharro realça o esforço que está a ser feito e que já conseguiram diminuir o prazo de pagamentos “em mais de um ano”. Efetivamente, a 31 de dezembro de 2016 o PMP da autarquia estava fixado nos 1.233 dias, enquanto que um ano depois o PMP se fica pelos 821 dias. Paços de Ferreira (652 dias de PMP) e Celorico da Beira (455 dias de PMP) completam o pódio pelas piores razões.

Ao invés, Alcobaça é um dos Municípios melhores pagadores, com 5 dias de PMP, enquanto no final de 2016 pagava a 14 dias. No distrito, apenas Leiria (5 dias de PMP) iguala o município gerido por Paulo Inácio, o que “reflete todo um trabalho de reequilíbrio orçamental e financeiro realizado nos últimos anos”, considera o presidente da Câmara de Alcobaça.