Domingo, Novembro 27, 2022
Domingo, Novembro 27, 2022

Doutoranda premiada por trabalho na área do 5G

Data:

Partilhar artigo:

A valadense Marina Jordão, aluna do Programa Doutoral em Engenharia Eletrotécnica da Universidade de Aveiro (UA), foi premiada com o “Silver Award of ARFTG Roger Pollard Student Fellowship in Microwave Measurement” pelo trabalho “Over-The-Air Characterization of 5G MIMO Systems”.

A valadense Marina Jordão, aluna do Programa Doutoral em Engenharia Eletrotécnica da Universidade de Aveiro (UA), foi premiada com o “Silver Award of ARFTG Roger Pollard Student Fellowship in Microwave Measurement” pelo trabalho “Over-The-Air Characterization of 5G MIMO Systems”. O prémio foi anunciado no “94th ARFTG Microwave Measurement Symposium RF to Millimeter-Wave Measurement Techniques for 5G and Beyond”, no passado dia 28 de janeiro, em San Antonio, nos Estados Unidos.

“Ver o trabalho reconhecido significa que este plano de doutoramento apresenta contribuições significativas nesta área de investigação, sendo o trabalho reconhecido internacionalmente, pelas instituições da área, o que é muito relevante para a investigação nacional”, revela Marina Jordão ao REGIÃO DE CISTER, que está a frequentar o terceiro ano de quatro do doutoramento.

Região de Cister - Assine Já!

Depois de finalizado o mestrado integrado em Engenharia Eletrónica e Telecomunicações na UA, a jovem de 30 anos iniciou uma bolsa de investigação no Instituto de Telecomunicações em Aveiro e foi durante o trabalho de investigação na área das telecomunicações que surgiu o desafio de prosseguir para um doutoramento. “Uma vez que um dos desafios em telecomunicações nos últimos anos tem vindo a ser o 5G, avancei, juntamente com os meus orientadores, para um doutoramento focado em métodos de caracterização para teste de antenas MIMO e dispositivos IOT que vão ser utilizados no 5G”, explica.

O trabalho de doutoramento está a ser desenvolvido pela aluna no Instituto de Telecomunicações em Aveiro (IT-Aveiro), com a orientação de Nuno Borges de Carvalho e Arnaldo Oliveira, respetivamente, diretor e professor do Departamento de Eletrónica, Telecomunicações e Informática (DETI), bem como de Rafael Caldeirinha, professor do Instituto Politécnico de Leiria.

“O trabalho torna-se importante pois no 5G as antenas a operar vão ser fisicamente diferentes do 4G e irão funcionar em frequências mais elevadas. São então levantados vários desafios que necessitam de métodos corretos para realizar os seus testes. O mesmo acontece também com os dispositivos IOT (internet das coisas) que vão ser utilizados no nosso dia-a-dia na próxima geração”, adianta Marina Jordão.

Segundo nota da UA, este trabalho de doutoramento tem como objetivo “contribuir com técnicas e métodos para melhorar o design, caracterização de antenas MIMO e de dispositivos para a Internet das Coisas a utilizar no 5G”.

Para a jovem valadense, o objetivo final do doutoramento é “contribuir com métodos de teste e medida que possam testar, melhorar e otimizar estes dois pontos”.

AD Footer

Artigos Relacionados

Hélder Roque assume direção clínica das clínicas do Grupo H Saúde

Hélder Roque é o novo diretor clínico da Clínica das Olhalvas- Leiria, da Policlínica Central da Benedita e...

Orquestra Típica e Coral de Alcobaça voltou aos palcos três anos depois

Depois de cerca de três anos com a atividade suspensa, a Orquestra Típica e Coral de Alcobaça voltou...

Degustação de vinhos e sabores locais apreciada por 1 milhar de pessoas no Vimeiro

A “I Degustação de vinhos e sabores da terra”, evento promovido pelo Círculo de Arte, Cultura e Desporto...

Ana Pagará reconduzida como diretora do Mosteiro de Alcobaça

Ana Pagará foi reconduzida no cargo de diretora do Mosteiro de Alcobaça, para uma comissão de serviço de...

Aceda ao conteúdo premium do Região de Cister!