Ginjinha d’Alcobaça pretende ser “santuário” em Alcobaça

A casa comercial “Ginjinha d’Alcobaça”, da adega Lemos Figueiredo, abriu recentemente portas na Praça Dom Afonso Henriques, prometendo ser um “santuário” da ginjinha e mais um ponto de visita obrigatória numa das praças mais movimentadas da cidade de Alcobaça.

As portas abriram-se, pela primeira vez, a 20 de novembro, numa inauguração simbólica, estando o espaço a funcionar diariamente com uma colaboradora a tempo inteiro. “Iniciámos este projeto de showroom e loja física para oferecer uma experiência diferente e mais próxima dos nossos clientes”, conta a gerente ao REGIÃO DE CISTER. 

Mariana Figueiredo explica que o objetivo da casa passa pela valorização da conceituada ginjinha de Alcobaça, informando que aquele espaço servirá também de montra para dar a conhecer o dry gin Casanova, primeiro gin do portfólio da adega Lemos Figueiredo, numa homenagem à variedade de Maçã Casanova. Esta bebida é elaborada com “fruta feia” de Alcobaça, não comercializável. Para a responsável esta aposta pretende “enaltecer sempre os produtos ricos da região”.

“Além da localização que é excelente, pretendemos construir o santuário da ginjinha d’Alcobaça”, sublinha a alcobacense, revelando que o estabelecimento comercial vai apostar na realização de workshops, música ao vivo, eventos e outras iniciativas que estão a ser preparadas para “quando a situação pandémica o permitir”.

A Lemos Figueiredo já funcionava com a venda ao público através da loja online, projeto lançado no passado dia 30 de maio, e onde o público pode adquirir, naturalmente, Ginja de Alcobaça e o Vermouth, assim como o Casanova set - edição presente, que inclui o Casanova Dry Gin, um copo de gin, medidor cobreado e um stick botânico.