Palacete do Ceeria passa a ser ocre

As obras de reconstrução do chamado palacete cor de rosa do Ceeria, na rua do Castelo, estão a decorrer a bom ritmo e tudo indica que estejam concluídas antes do início deste verão.

A intervenção no edifício será profunda e implica, também, a alteração da cor exterior do prédio, que voltará a ser ocre, tal como quando foi erigido, em 1912, para servir de residência do diretor da Fábrica de Fiação e Tecidos de Alcobaça.

A empreitada, que foi lançada no ano passado por um valor estimado de 425 mil euros, estimava a duração das obras em seis meses. Para concretizar a obra, o Centro de Educação Especial, Reabilitação e Integração de Alcobaça recebeu um donativo da Câmara de Alcobaça no montante de 125 mil euros.

Em 2018, o Ceeria anunciou um investimento de 1,2 milhões de euros nas infraestruturas. Além da reabilitação do palacete, previa-se também a reabilitação do Centro de Atividades Ocupacionais, anexo ao palecete, e a construção de um novo lar de residência autónomas, com capacidade para 20 pessoas, para complementar a unidade residencial que funciona no Lameirão. Os projetos em causa foram candidatados a fundos europeus.

No ano passado, o Ceeria prestou serviços a um total de 1.210 utentes nos concelhos de Alcobaça, Nazaré e Porto de Mós, um novo máximo histórico da instituição.