Ao sabor da maré

Outono e introspeção

Outono é tempo de mudanças. Inicia-se um ciclo preparatório no sentido de alcançar a renovação; o renascimento de “novos” processos. Na “maré de hoje” trago-vos “alimento primário”, que vai além do plano físico. Este, tal como a alimentação secundária, ou seja, o alimento que assegura as funções vitais e previne a doença, também é inibidor da doença, física e emocional.

Trago-vos 3 autores ideais para esta viagem introspetiva. Porquê? Por que nos impelem a regenerar o nosso “eu”! Fazem-nos refletir; e levam-nos caminho fora, rumo a uma melhor versão de nós próprios. No livro “The Compound effect”, de Darren Handy, lemos: ”You will never change your life until you change something you do daily.The secret of your sucess is found in your daily routine” [Não mudarás a tua vida, enquanto não mudares o que fazes quotidianamente. O segredo para o sucesso reside na tua rotina diária]. A mensagem é clara.

Atentem agora nas palavras de Jim Rohn no livro “The art of exceptional living”: ”I used to say, ‘If you will take care of me, I will take care of you’. Now I say, ‘I will take care of me for you, if you will take care of you for me’ [Costumava dizer: se cuidares de mim, cuidarei de ti; mas agora digo: Cuidarei de mim por ti, se cuidares de ti por mim]. O que podemos retirar daqui? Que aprender a importância de nos cuidarmos por inteiro é fundamental para que tenhamos (nós e os nossos) uma saúde equilibrada. É por isso que digo “Cuidem-se para que possam cuidar”! O autocuidado é fundamental. Principalmente perante os desafios do “novo normal”.

Vivemos na “Era do tudo ou nada; do “já” e do “para ontem”. O pior é que é errado! Reparem; as coisas “demoradas”, feitas com consistência são as que produzem resultados maiores e mais duradouros. É preciso compreender isto quando se “caminha o caminho”. É preciso saber o “porquê” da caminhada. Por isso é tão importante a introspeção. A autora Gail Hyat refere que “as pessoas perdem o seu ‘caminho’ quando deixam de saber o seu “porquê”. Aproveitem o “convite” que a mudança de estação nos traz, voltem-se para o vosso interior, encontrem o “porquê”, motivem-se, e naveguem rumo ao “melhor de vós”. Até à próxima maré!